Pedal de Breque


Acidente: Massa

massa

No treino classificatório para o GP da Hungria, Felipe Massa  foi acertado na cabeça por uma peça que se desprendeu do carro de Rubens Barrichello, perdeu a consciência e acertou a barreira de pneus.

O que foi informado até agora:

1-) Massa estava mexendo braços e pernas, muito agitado, e por isso foi sedado

2-) O piloto teve uma concussão cerebral e um corte profundo na testa, de cerca de 8cm.

3-) Ele está sendo operado neste momento

4-) A operação foi um sucesso, ele segue em coma induzido. Informações dizem que ele teve uma “pequena lesão cerebral”, mas nada preocupante.

5-) O médicos informaram: Felipe Massa não tem mais nenhuma lesão neurológica, o piloto ainda permanecerá em coma induzido por mais 48 horas.

6-) Existe uma preocupaqção quanto ao olho esquerdo do piloto, que está preto e inchado. Ainda não há certeza sobre a gravidade das sequelas no local. Pode ser que o piloto não volte mais a competir.

7-) Massa está se comunicando bem, passa a maior parte do tempo acordado.

8-) Massa não está mais entubado e já consegue se comunicar.

9-) Massa pode deixar hospital em dez dias, andando, segundo diretor do hospital.

10-) Segundo médio pessoal, Massa não tem sinal de qualquer sequela.

11-) Massa teria inflamação biliar, mas deve deixar a UTI nesta quarta. Médico diz que Massa poderá volter a correr.

Obs: Sempre atualizado com novas informações. Última atualização: 12h010 (29/07)

Anúncios


Roberto Pupo Moreno – Por Onde Anda?
11/01/2009, 18:39
Filed under: Por onde anda? | Tags: , ,

Início e Fórmula 1:

Vestindo o macacão da GT3

Vestindo o macacão da GT3

 

Roberto Pupo Moreno começou no kart em 1974, com 15 anos de idade, e participou de diversas categorias, incluindo a Fórmula 1, Indy e ChampCar .

 

 

A estréia de Pupo na F-1 aconteceu na penúltima etapa, no GP do Japão(Suzuka), no ano de 1987 substituindo o francês Pascal Fabre na pequena e extinta equipe AGS.

 

 

Naquele ano, foi o 3º colocado na Fórmula 3000. Em 1988, o piloto brasileiro cedeu a vaga da AGS para o francês Philippe Streiff, e  disputou novamente a F-3000 Internacional, sendo o campeão na categoria e o primeiro piloto brasileiro a conquistá-la.

 

 

Retornou para a F-1 em 1989 para disputar o Mundial pela equipe Coloni. Em 1990, Moreno assinou contrato pela EuroBrun, ainda neste ano, substituiu Alessandro Nannini na equipe Benetton.

 

 

Em 1991, na semana do GP da Itália, em Monza, o piloto recebeu um comunicado de demissão da Benetton e teve que ceder o lugar para o jovem, e bem patrocinado (Mercedez) piloto alemão, Michael Schumacher. Moreno ocupou a vaga de Schumi na Jordan e correu ainda pela Minardi neste ano, substituindo Gianni Morbidelli.

 

 

Em 1992, tentou a sorte pela Andrea Moda, que surgira da compra da Coloni. Retornou  em 1995 e fez dupla com o compatriota Pedro Paulo Diniz na equipe Forti Corse.

 

 

1996-2007: Carreira no automobilismo dos EUA:

 

 

Após abandonar a F-1, Moreno voltou seus olhos para os EUA e, em 1996,  assinou um contrato com a Payton Coyne. Mesmo pilotando por uma equipe de nivel mediano para baixo, Moreno se sobressaiu, fazendo 25 pontos e conseguindo a 21ª posição no campeonato.

 

Em 1997, Moreno continuaria no calvário da Payton-Coyne. A virada de Pupo veio com o acidente de Christian Fittipaldi, em Surfers Paradise, onde o brasileiro assumiu a vaga do compatriota na Newman-Haas. Infelizmente, sua passagem pela equipe não foi muito boa. Moreno ainda fez duas corridas discretas na Bettenhausen.

 

 

Em 1998, Moreno correu na Project Indy, pior equipe da categoria naquele ano. Ficou por lá por duas corridas. Disputou o GP de Milwaukee pela Newman-Haas, novamente no lugar do contundido Christian Fittipaldi. Fechou o ano zerado.

 

 

A temporada de 1999 foi bem melhor. Substituindo o inglês Mark Blundell (ex-piloto de F-1, assim como Moreno), o brasileiro marcou pontos em 6 corridas. Mais um acidente com Christian Fittipaldi (pra variar) e Moreno assumiu o lugar na Newman-Haas, conseguindo um excelente 2º lugar em Laguna Seca.

 

 

No início do ano, com contrato para disputar duas corridas na IRL pela Truscelli, chegou a disputar as 500 Milhas de Indianápolis e a corrida de Gateway no mesmo dia.

 

 

Em 2000, aos 41 anos, Moreno integrou a Patrick e fez um campeonato espetacular, vencendo a corrida de Cleveland e brigando pelo título até o final. No final do ano, ficou em 3º, com 147 pontos, atrás de Gil de Ferran e Adrián Fernández.

 

 

Moreno seguiu na equipe em 2001. Como a Patrick não estava bem das finanças e correria apenas com um carro em 2002, Moreno acabou demitido e ficou sem lugar. Com 44 anos de idade, voltou em 2003, para correr na Herdez, ao lado de Mario Domínguez.

  

O brasileiro teve ainda mais duas oportunidades no automobilismo dos EUA. Em 2006, substituiu Ed Carpenter na Vision Racing na corrida de St. Petesburg.  Aos 48 anos, voltou à ChampCar para correr o GP de Houston no lugar de Alex Figge na Pacific Coast Motorsports.

 

 

 Texto acima retirado e editado da Wikipédia.

 

 

 

 

 Por Onde anda?

Atualmente Pupo Moreno tem negócios no setor imobiliário* (nos EUA) e enfrentou os efeitos da Crise Mundial – que começou justamente neste ramo de atividade, nos Estados Unidos. Mas o brasileiro também segue acelerando, e em 2008 esteve inscrito para participar da GT3 Brasil (mas guiou em algumas poucas etepas), pilotando uma Ferrari. Em entrevista, Pupo conta que pretende ser mais efetivo na categoria de turismo brasileira quando seu empreendimento na terra do Tio Sam se estabilizar.

*Não, ele não é corretor